Contido

Bon Vivant
 
Compras de Natal, Saara e muito bom humor
por Liza Meller em 22-12-2002 19:18
atualizado em 18-08-2005 03:23
http://contido.com.br/?aid=36
 
Como ir às compras de última hora, enfrentar multidões e voltar trazendo também um largo sorriso!
 

Muitos de nós já viram esse filme: o dinheiro do 13o demorou a entrar, ou faltou tempo, ou então apareceram umas visitas de última hora (geralmente são parentes ou amigos de outro estado) e fica feio não presenteá-los. Ou você resolveu engordar a mesa da ceia com as frutas secas típicas de Natal, mas achou um abuso os preços praticados no seu bairro. O que fazer?

Bem, existe uma saída econômica, mas as pessoas em geral tremem, suam frio, têm pesadelos só de pensar: ir à Saara. Para quem não sabe, SAARA é sinônimo de Sociedade dos Amigos e Adjacências da Rua da Alfândega, uma região tradicionalíssima de compras no centro do Rio e preferida por 10 entre 10 designers, criativos e afins para enriquecer sua mesa, seu guarda-roupas, sua decoração e presentear sem pesar muito no bolso.

Mas se é um lugar tão legal, porque esses connoisseurs passam mal só de pensar? Simples: durante todo o ano, comprar na Saara já exige uma grande disposição, energia e resistência física. São poucos quarteirões, mas concentram 600 lojas que vendem de tudo; por conta disso, digamos que a "densidade demográfica" é mais alta lá. Traduzindo: é necessário também levar seu driblômetro modelo profissional, pois você certamente precisará se desviar de multidões vindo em sua direção. E essa "densidade demográfica" quintuplica nos dois ou três dias antes do Natal (ainda mais se for um sábado)...

Então, o que fazer? Ir à Saara ou ficar de mãos vazias? Voltar com as mãos cheias de presentes, mas com dores nos pés e um mau-humor horrendo que precisa de pelo menos três dias longe dos outros seres humanos para se dissipar?

Não! É possível ir à Saara, sobreviver às multidões e retornar sorrindo! E não, esse não é um artigo de auto-ajuda. É apenas uma mensagem de bom senso que, no auge do estresse em meio à multidão enlouquecida pela necessidade de consumo, de ir às compras e aproveitar promoções, a gente por vezes esquece completamente.

A receita não é segredo nenhum, e bem simples:

Seja precavido

  • De preferência, acorde bem cedo! As lojas da Saara geralmente começam a abrir a partir das 8:30 da manhã, chegue lá a essa hora, antes da maioria das pessoas, que chegam lá pelas 10:30.
  • use roupas frescas e sapatos confortáveis. A Saara não é lugar para desfile de modas, é um teste de sobrevivência! Você terá tempo de sobra para produções elaboradas depois. E seus pés chegarão inteiros em casa...
  • Tenha em mente o que quer comprar. Esse não é o momento de "ver vitrines". Faça uma lista, e mantenha-se focalizado nessa lista, sem desvios. A intenção é fazer um ataque rápido e fulminante às lojas, e sair antes que a massa tresloucada chegue em seu encalço.
  • Seja gentil com os vendedores da Saara, eles geralmente são pessoas simpáticas que irão atendê-lo com maior solicitude, ainda mais em meio a tantos maus-tratos pelas hostes de compradores estressados, apressados e mal-educados. Sério, eles se desdobram mesmo! Experimente e você verá.
  • Leve apenas o dinheiro suficiente para sua lista, nada de cheques ou cartões. Comprar na Saara é sempre muito tentador, e mesmo que você esteja em uma loja comprando exatamente os itens de sua lista, ter flexibilidade de pagamento pode tentá-lo a levar algo mais, e quando você olhar para o relógio, já são 11 horas: as multidões chegaram!!!

Mas se houver um imprevisto...

Se mesmo com os conselhos acima, houver um imprevisto: você ficou morrendo de fome e parou naquela lanchonete árabe para comer uma esfiha sensacional, ou o sol estava muito forte e você se demorou mais um pouco naquela lojinha com ventilador (lá não tem ar condicionado!) para se refrescar, não se desespere: vem aí o conselho para resolver todos os seus problemas: você, que é uma pessoa inteligente, bem resolvida, com a cabeça cheia de assuntos e idéias legais para um bom papo entre amigos, pense na seguinte idéia: se tudo parece horrível, dê uma boa gargalhada e tente achar alguma graça na situação – é sério!

Por exemplo, digamos que você fez tudo direitinho, mas foi pego de surpresa e há uma multidão do lado de fora da loja, a tal ponto que a rua de pedestres virou uma espécie de rio em duas mãos: tem um fluxo de pessoas indo para uma direção e um fluxo de pessoas indo na direção contrária. Bem, respire fundo, escolha sua direção e siga o fluxo! E pense que você está em um filme do Monty Python, ou do Woody Allen, ou uma das inúmeras comédias de situação que existem por aí... porque isso é realmente uma cena de comédia! E se você está dentro de uma cena de comédia, nada mais natural do que uma boa risada – e nada mais saudável também, seu coração agradece.

É tudo uma questão de estar consciente: lembre-se que foi você mesmo quem escolheu ir à Saara nesse dia, sabendo que estaria incrivelmente cheio de gente, e ninguém forçou você a ir: a escolha foi sua. Então, como pessoa consciente, assuma sua escolha e aceite a situação sem estresse, na base do "toném" (não tô nem aí), que rapidinho você sai dessa situação e já chegou na porta do metrô... Metrô? Ah, que bom, um ar condicionado para refrescar! E com um largo sorriso, você se dá conta que sobreviveu às multidões, ganhou experiência, e que ano que vem poderá estar dando este mesmo conselho a um amigo marinheiro de primeira viagem...

Boas Festas e muita alegria a todos!


E mais:
O chefe que queria ser rei
Medo e servidão são as principais ferramentas de opressão no ambiente de trabalho de milhões de pessoas.
9 dicas Para Melhorar Seu Perfil no Happn
Tá difícil rolar uns crushes no happn? Essas dicas vão te ajudar a conseguir mais!
Como escrever argumentos para videoclipes
Veja o argumento completo do videoclipe Turn Down For What
Shoutcast para quem quer ouvir boa música
Nunca usei Rdio, Pandora ou Spotify e não sinto falta.
Professor real, alunas virtuais e sexy
E se a realidade virtual servir para mais do que se imagina?
Tirando desenhos do papel, de verdade
Quiver é um app divertido para dar vida aos coloridos das crianças.
Robôs precisam de conexões globais 24h por dia
Grandes empresas estão na corrida para conectar o mundo
Nobuyuki Forces: gratuito, independente e ótimo
Jogo de ação, casual e com adrenalina máxima para testar sua atenção e pontaria.
Porque se inspirar logo de manhã
Escapar da rotina começa cedo.
Amor real por personagens vituais
O que vale mais: a realidade ou a percepção?

 
Arte | Bon Vivant | Cinema | Culinária | Design | Exposições | HQ/Manga | Idéias | Ilustração | Internet | Literatura | Moda | Música | Negócios | Tecnologia | TV | Videogames
 
Busca no Contido:
©Alex Nautilus :: CONTIDO.com.br :: SOBRE O SITE :: RSS :: @contido no Twitter