Contido

Bon Vivant
 
Material baby II
por Liza Meller em 27-09-2009 19:16
http://contido.com.br/?aid=179
 
Ou como evitar que a mídia e as marcas tenham um efeito pernicioso sobre nossos filhos
 

Case e se reproduza. Consuma. Ilustração original by Gud.it 

Um amigo leu meu texto anterior e respondeu com parabéns. Agradeci e expliquei que foi um desabafo e está sendo uma tentativa de aglutinar pessoas que pensam como eu e meu marido, que estamos vendo outros pais à nossa volta transformarem seus filhos em pequenos materialistas. Estou meio cansada e de saco cheio de ouvir "mas seu filho será um alienado!" É mesmo? Eu fico lembrando daquela expressão, a tal da unanimidade burra... Será que o meu filho será o alienado... ou serão os filhos deles?

Que benefícios concretos a mídia massificadora, as marcas e os personagens infantis criados exclusivamente para consumo trarão aos meus filhos? Vocês já viram o desenho animado "Barbie Fairytopia"? Da primeira vez que eu vi, fiquei horrorizada... Parei calada na frente da TV, só vendo aquela coisa feita para vender boneca se fingindo de conto de fadas, mas sem o teor verdadeiro e arquetípico dos contos de fada. Em vez disso, eles colocam um conteúdo de conceitos contemporâneos, que no final só levam a um reforço dos conceitos de "compre para se sentir feliz" da sociedade moderna. Um perigo para a saúde emocional das crianças, mas os pais desavisados em geral acham bonitinho, legal (é como conto de fadas, não pode ser ruim) e deixam seus filhos assistir... 

Estou tendo um trabalhão para impedir que dêem para o nosso filho brinquedos cheios de botões, luzinhas e musiquinhas eletrônicas da Fisher-Price (a.k.a. Mattel)... Eles são considerados educativos e de boa qualidade. Eu sempre peço para comprarem coisas de pano, com guizos, texturas, cores, barulhinhos, coisas educativas que desenvolvem o bebê mas sem limitar sua criatividade em atividades fixas... Por enquanto estou ganhando, mas é sempre um esforço imenso. 

Juro que eu nunca imaginei que o trabalho de ser mãe viria desse lado. 

A propósito: quero deixar bem claro que não somos melhores nem piores que os outros pais. Temos apenas algumas escolhas diferentes da maioria. E queremos apenas que nossas diferenças sejam respeitadas pelas pessoas com quem convivemos. Senão a coisa fica muito complicada: lembro de uma ou outra linha de pensamento que quiseram obrigar todas as pessoas a agir e pensar de forma idêntica, e muita gente morreu por causa disso. Mas esse é outro papo e melhor deixar para depois. 


E mais:
O chefe que queria ser rei
Medo e servidão são as principais ferramentas de opressão no ambiente de trabalho de milhões de pessoas.
9 dicas Para Melhorar Seu Perfil no Happn
Tá difícil rolar uns crushes no happn? Essas dicas vão te ajudar a conseguir mais!
Como escrever argumentos para videoclipes
Veja o argumento completo do videoclipe Turn Down For What
Shoutcast para quem quer ouvir boa música
Nunca usei Rdio, Pandora ou Spotify e não sinto falta.
Professor real, alunas virtuais e sexy
E se a realidade virtual servir para mais do que se imagina?
Tirando desenhos do papel, de verdade
Quiver é um app divertido para dar vida aos coloridos das crianças.
Robôs precisam de conexões globais 24h por dia
Grandes empresas estão na corrida para conectar o mundo
Nobuyuki Forces: gratuito, independente e ótimo
Jogo de ação, casual e com adrenalina máxima para testar sua atenção e pontaria.
Porque se inspirar logo de manhã
Escapar da rotina começa cedo.
Amor real por personagens vituais
O que vale mais: a realidade ou a percepção?

 
Arte | Bon Vivant | Cinema | Culinária | Design | Exposições | HQ/Manga | Idéias | Ilustração | Internet | Literatura | Moda | Música | Negócios | Tecnologia | TV | Videogames
 
Busca no Contido:
©Alex Nautilus :: CONTIDO.com.br :: SOBRE O SITE :: RSS :: @contido no Twitter